DETROIT: BECOME HUMAN – Vale a pena jogar?

Detroit foi lançado em maio desse ano e foi desenvolvido pela Quantic Dream, desenvolvedora responsável por títulos como Heavy Rain e Beyond: two souls. Como os jogos anteriores ele segue a mesma dinâmica de narrativa e escolhas fazendo o jogador criar a própria história através de suas decisões. O jogo também traz uma temática bem interessante se passando em um cenário futurista onde androides criam emoções e sentimentos decidindo então se voltar contra a vida de servidão e escravidão pelos humanos. Hoje vamos entrar um pouco nesse universo.

Historia

O jogo se passa em 2038, nesse ano é comum pessoas comprarem seus androides para auxiliarem em tarefas domesticas, cuidar de seus filhos ou até mesmo prazeres sexuais. Mas com toda essa tecnologia começam a surgir casos de androides que fugiram de sua programação original cometendo crimes contra seus donos ou apenas fugindo e é neste momento que a história começa. Durante o jogo você irá controlar 3 androides com histórias e caminhos distintos, mas que se cruzam futuramente então tome bem suas decisões para poder assim salvar todos.

Você começa controlando o androide chamado Connor, ele e enviado para auxiliar a polícia e colher informações sobre esses androides que estão fora de controle. Sou primeiro caso é sobre um androide que mata seu dono e sequestra uma garotinha e seu papel é obter a confiança dele salvando a garota. Outros casos irão surgir e suas decisões são cruciais para o desenrolar do jogo podendo assim salvar seus irmãos androides se tornando divergente (quando um androide começa a ter sentimentos e emoções indo contra sua programação original) ou agir conforme sua programação enquanto lida com seu parceiro humano que não confia em você.

Logo depois temos a história de Kara, que foi comprada para cuidar da casa e da filha de um alcoólatra e viciado. De início ela segue sua programação inicial cuidando da casa, mas é posta contra si própria quando seu dono após se drogar começa a ir para cima de sua filha e agredi-la, ela recebe o comando de ficar parada porem seus instintos falam mais forte e ela acaba indo em busca da garotinha para protege-la. Infelizmente a história não termina bem e seu dono acaba morrendo (ele pode morrer por suas mãos ou pela da garotinha dependerá de suas decisões até ali) forçando-as a fugir e passando por grandes apuros para poder assim chegar ao Canada que é onde os androides tem a chance de recomeçar.

E então entra a vez do androide Markus, ele trabalha cuidando de um pintor idoso que o tratava bem e o ensinava muitas coisas entre elas a ter sentimentos e emoções, enquanto jogamos com ele notamos que ele já começa a se questionar a partir da li tratando seu dono como um pai. Infelizmente a vida dele muda quando o filho de seu dono que é usuário de drogas acaba agindo de forma agressiva querendo pegar quadros de seu pai para vender e levantar dinheiro e com isso Markus acaba perdendo seu dono e sendo culpado pela morte do mesmo…

Markus então e “desmontado” e jogado em um lixão para androides, ali começa sua luta por sobrevivência onde ele e forçado a pegar peças de outros androides para assim viver sua vida. Após toda essa experiência ele conhece um grupo de androides divergentes que vivem isolados dos humanos, e se junta a eles chegando a se tornar um líder que através de suas escolhas como jogador podem ser agressivas assim lutando em uma guerra contra os humanos ou de forma pacifica tentando mostrar aos humanos que androides tem emoções e que merecem uma vida digna e igual as deles.

Vemos diversos androides morrerem e serem salvos no decorrer da história e alguns até mesmo nos apegamos com sua personalidade e forma meia ou maluca de pensar.

Se gostou do que viu até aqui deixarei o restante da história para vocês explorarem e depois coloca nos comentários qual foi o final que teve e o que achou sobre !

Jogabilidade

O jogo traz uma jogabilidade próxima a dos títulos anteriores onde você irá tomar decisões e elas irão assim dar um rumo a história, mas o que mais me deixou impressionado e que existe uma grande interação com o cenário seja pela parte investigativa quando estiver jogando com o Connor até mesmo os momentos de confronto e sobrevivência de Kara.

Você quem cria seu caminho e o jogo lhe proporciona uma teia enorme onde várias situações são possíveis e no fim do capitulo você pode ver tudo o que fez até ali. Uma coisa que gostei bastante e que tem a androide inicial na tela de início que interage com você e até elogia suas decisões.

Temos bastante cenas de ação onde você verá Markus fazendo saltos de parkour, lutas corpo a corpo contra inimigos armados ou fugindo em meio a um tiroteio. Tudo isso você tendo que ser rápido para conseguir escapar de golpes inimigos.

 

Graficos

Quanto a qualidade nos gráficos posso dizer que é impressionante, de início podemos nos impressionar com a temática futurista e a riqueza nos detalhes de todos os cenários presentes no jogo. Nada se torna repetitivo, mesmo a neve ou a paisagem pode ser apreciada.

Os personagens contam com uma atenção bem feita quanto aos detalhes de textura e também de animação em suas expressões faciais, podemos ver neles o que estão sentindo e até mesmo entender quando estão tensos ou nervosos apenas olhando para como seu corpo se mostra.

A dublagem é outra coisa que ficou excelente, escolheram dubladores que se encaixaram perfeitamente em seus personagens dando uma imersão bem forte ao universo do jogo.

Conclusão: Vale a pena jogar?

Sim! Detroit é um jogo que vai chamar a atenção até mesmo daqueles jogadores que gostam de jogos de ação até aqueles que procuram uma historia envolvente. O jogo cumpre com tudo o que prometeu e vai te surpreender, seu custo para a compra e justo comparado a sua qualidade, questões tratadas no decorrer da trama entre outros…  Vale a pena dar uma chance para esse game mesmo ele sendo diferente dos jogos que estamos acostumados  sua dinâmica  e enredo vão garantir uma experiencia emocionante.

 

Siga @Nerdssauros