Juan dos Mortos (Alejandro Brugués, 2011)

O cineasta George A. Romero inseriu os filmes de zumbis na cartela dos fãs de filmes de terror quando dirigiu A Noite dos Mortos-Vivos, em 1968.

De lá pra cá surgiram diversas novas releituras com quadrinhos, filmes e séries com zumbis no centro do fim da humanidade. Madrugada dos Mortos, do diretor Zack Snyder, surpreendeu, em 2004, e, em 2010, estreou a série The Walking Dead (adaptação da HQ criada por Robert Kirkman), que mostra um grupo de pessoas tentando sobreviver ao apocalipse zumbi e às adversidades que surgem ao redor.

O primeiro filme de zumbi gravado em Cuba, o terrir (terror com altas doses de comédia) Juan dos Mortos mostra Havana sendo tomada por uma doença desconhecida, que transforma humanos em zumbis famintos. No centro da história, temos um personagem muito sossegado e divertido, Juan (interpretado pelo competente Alexis Díaz de Villegas), tentando sobreviver e proteger algumas pessoas diante do que ele não poderia imaginar que aconteceria. Ele acaba enxergando uma oportunidade de negócio em meio ao caos. “Juan dos Mortos, matamos seus entes queridos” é o slogan do serviço prestado. Juan carrega um jeito malandro em sua personalidade, o que usa para passar por cima de algumas convenções sociais.

O roteiro é simples, as piadas também e os efeitos não são os mais sofisticados. Mas tudo isso, misturado com o carisma dos atores e com a capacidade que eles tiveram em transmitir as reações de surpresas e de pensar rápido diante de cada problema, é o que torna o filme mais cativante.

O que não facilita a vida de Juan são a mídia e o governo, que tratam a contaminação zumbi como uma revolta de dissidentes. Ele precisa então se sobressair em meio a uma epidemia de grandes proporções, proteger sua filha e seus amigos. Além disso, há a total falta de informação, pois ninguém sabe o que é um zumbi.

Alexis Díaz de Villegas, que interpreta Juan, se sobressai e mostra que carrega muito talento no peito. O protagonista parece ser um dos mais normais e sensatos do grupo, mas também é muito engraçado e divertido.

As coisas mais absurdas acontecem com o grupo e para dar risada com o filme é necessário deixar a lógica de lado e concordar em viajar na ideia do diretor Alejandro Brugués, que também escreveu a história.

Juan dos Mortos foi premiado com o Goya (o Oscar espanhol) nas categorias Melhor Filme Ibero-americano e Melhor Diretor.

Siga @Nerdssauros