Christine – O Carro Assassino

Hey, hoje é a nossa 10ª matéria do especial #31diasdeterror e vamos falar de rock ’n’ roll, carros, John Carpenter e Stephen King. Sim! Temos uma obra do clássico cult que reuniu todos esses ícones!

Christine – O carro assassino é um filme de 1983 lançado como uma obra de terror e suspense baseado no livro “Christine” de Stephen King, foi dirigido por John Carpenter que na época não encarou o projeto como uma realização pessoal, ele definia como algo que precisou fazer pela sua carreira naquele momento, apenas um trabalho. O filme não foi aquele sucesso de crítica na época, mas arrecadou U$21 milhões de dólares e como a maioria dos filmes de John, acabou ganhando seu espaço entre os clássicos cult.

Independente do sucesso esperado ou não para a obra, eu particularmente amava assistir suas exibições na Sessão da Tarde da Rede Globo. Talvez pela quantidade de clássicos do rock ’n’ roll que temos o prazer de ouvir ao longo de toda a trama, o filme já começa com nada mais, nada menos que “Bad to the bone” (George Thorogood).

Ou então talvez seja pela quantidade de carros antigos que ajudavam a caracterizar o período de 1957 à 1978, um verdadeiro festival de Dodge Charge 68,  Chevrolet Camarro 67, Cadillac Coupe DeVille 74, além da grande estrela, um Chrysler Plymouth Fury 57 vermelho, no papel de Christine.

Eu achava tudo lindo e as músicas ótimas, mas acho mesmo que a minha empolgação toda vinha da ideia de existir um carro que estava possuído por um “espirito maligno” que acabava tendo vontade própria e uma relação bastante doentia com seus donos. Você passa o filme se perguntando se seria apenas um carro malvado ou um carro que sentia tanto ciúmes que acabava descontrolado. O detalhe mais legal para mim é a manifestação de vida de Christine que durante o filme é sinalizado pelo rádio do carro ligando sozinho!

Até a metade do filme você até gosta das influências que Christine causa em seu mais novo dono Arnie (Keith Gordon), já que ele acaba demostrando uma nova personalidade, mais forte e mais vaidosa, com força suficiente para vencer o bullying que sofria na escola. Mas tudo isso foi um pouco demais já que esse novo comportamento acaba por afastá-lo da família, do melhor amigo Dennis (John Stockwell) e de sua nova namorada Leigh (Alexandra Paul).

Bom, já deu pra perceber que esse filme não poderia ter ficado de fora da nossa lista e é mais um que você deveria fazer questão de aproveitar o clima de outubro pra conhecer ou então rever. Eu particularmente acho que é o tipo de filme que você pode assistir durante a vida toda­­!

 

Curiosidades

  • O ator Kevin Bacon fez os testes para interpretar Arnie, mas na época acabou escolhendo estrelar Footloose!
  • Nas filmagens foram utilizados 17 automóveis para compor as aparições de Christine. Nem todos os carros eram da mesma marca, mas foram adaptados para se parecerem com ela.
  • Muitas mudanças foram feitas do livro para o filme, talvez a mais importante seja o fato de Christine ser um carro possuído por seu antigo dono o que explica seu comportamento na versão do livro.
  • O Chrysler Plymouth Fury era apenas fabricado na cor Buckskin Beige, para quem não conhece a cor ela pode ser vista nos outros carros que aparecem na linha de produção no início do filme.
  • O filme também tem um título alternativo: John Carpenter’s Christine.

 

Trilha Sonora

  1. Bad to the bone – George Thorogood
  2. Beast of burder – Rolling Stones
  3. Bony Moronie – Larry Willians
  4. Come on, let’s go – Ritchie Valens
  5. Harlen Nocturne – The Viscounts
  6. I wonder why – Dion
  7. Keep a-knockin – Little Richard
  8. Little bitty pretty one – Thurston harris
  9. Not fade away – Buddy Holly
  10. Runaway – Bonnie Raitt
  11. Little bitty pretty one – Thurston Harris
  12. Pledging my love – Johnny Ace
  13. Rock and rolls her to stay – Danny e The Juniors
  14. Not fade away – Tanya Tucker
  15. The name of the game – ABBA
  16. We belong together – Robert e Johnny

Siga @Nerdssauros