Os assassinatos da Rua Morgue – Edgar Allan Poe.

Olá, meus monstrinhos, é Halloween, e durante esse mês inteiro vamos fazer os seus corações baterem mais forte, suas pernas bambearam. Então, meus amantes do mundo obscuro, peguem seus cobertores, cubram seus pés, porque esse mês promete.

Vamos falar de Edgar All Poe, um autor percussionista do terror e do suspense, muitos autores de renome leram suas obras em sua jornada, o grande H.P. Lovecraft tem Edgar como inspiração, vários de seus contos fazem menção as histórias desse renomado escritor.

Edgar escreveu várias narrativas e foi muito difícil escolher uma só (talvez tenham mais posts, quem sabe, outubro é um mês grande). A escolhida para crítica teve tanta importância no mundo da literatura que inspirou o escritor de Sherlock Holmes ao criar seu personagem mais famoso, tanto que foi citado diretamente na história do famigerado, porém, não estamos aqui para falar desse ilustre detive, mas de um certo Monsieur C. Auguste Dupin.

Foram escritos vários contos sobre o Detetive Dupin, todavia, vamos falar de sua primeira aparição em Os Assassinatos da Rua Morgue, mas, antes de qualquer informação sobre esse conto preciso deixar claro que pode conter alguns spoilers. Vamos ao conto.

Vizinhos acordaram assustados com os gritos que sucederam a noite na Rua Morgue, decidiram ir ver o que estava gerando gritos tão horrendos. Entraram na residência e subindo as escadas ouviram vozes, porém, ao entrar no cômodo apenas destruição foi o que avistaram, nem mesmo as moradoras, mãe e filha, estavam no campo de visão dos vizinhos. Apesar da bagunça, perceberam que apenas algumas jóias haviam sido levadas, visto que, muitas permaneciam ainda lá. Ao vasculharem a casa encontraram algo muito pior do que podia imaginar, a filha da dona da casa estava enfiada na chaminé de ponta cabeça, com o rosto todo cortado e com o pescoço extremamente machucado, quando a retiraram de dentro da chaminé ela ainda estava quente, porém não havia mais vida alguma na moça.

Assustados com tamanho horror foram procurar a mãe da senhorita, infelizmente a encontraram também já sem vida, com hematomas no rosto e na garganta, havia um corte tão profundo em sua garganta que ao locomovê-la sua cabeça se desprendeu do tronco. Diante dos horrores chamaram os policias, sendo que o resto virou manchete do jornal local.

Por óbvio que a casa fora revirada pelos policias, contudo, é inequívoco que o Detetive também fora colher suas evidências. Paro por aqui, para deixar o gostinho de quero mais, e sim, ele descobre quem foi o cruel assassino e como tudo ocorreu, cada detalhe cada movimento. E se isso é pouco para despertar sua curiosidade, ele encurrala os dois donos das vozes escutados pelos vizinhos. Atenção! Possível spoiler, um deles não é humano (musica tensa).

Finalizo da seguinte maneira, esse conto está disponível na internet para quem quiser saber por detalhes a história.

A DarkSide (ME PATROCINA, POR FAVOR) lançou uma série de livros chamada ‘’Medo Clássico’’e claro que teve o livro do Edgar, posteriormente foi lançado o volume dois dos contos do autor, o presente conto encontra-se no primeiro livro, casos se interessem em adquiri-lo, o livro contém várias histórias, o conhecidíssimo poema do Corvo em duas versões, por exemplo.

Com essa pequena propaganda eu desejo a todos um assustador Halloween e que ninguém puxe seu pé enquanto dormem!

Cordialmente,

Mal’ary’ush

Siga @Nerdssauros