Rob Zombie e seus filmes

Nascido Robert Bartleh Cummings em 1965, o norte americano Rob Zombie é músico, produtor, diretor de cinema e roteirista.
Ganhou fama mundial com a banda White Zombie, onde fazia um som totalmente calcado Heavy Metal Industrial, mas já apresentando um visual, letras e performance voltados para os grandes espetáculos de horror apresentados por artistas como Alice Cooper, Marylin Manson e Kiss. Em 1998 Rob encerrou as atividades do White Zombie e se dedicou à sua carreira solo, apresentando o mesmo som pesado do Heavy Metal, mas também flertando com outros estilos musicais como o Punk Rock e o Country por exemplo.
Como diretor de cinema, Rob Zombie iniciou sua carreira em 2003 com o filme A Casa dos 1000 Corpos.
Clara e declaradamente influenciado pelas obras de Wes Craven, Quentin Tarantino, Stephen King e John Carpenter, Rob Zombie hoje é cultuado entre os fãs dos filmes de terror.
Apesar dessas influências marcantes, os filmes de Rob Zombie tem uma identidade única que faz com que, qual seja o filme você consegue identificar como sendo uma obra do diretor.

Os seus filmes são sempre marcados com personagens fortes, absurdamente visuais, beirando o caricato, diálogos inteligentes e sarcásticos, boas doses de humor negro e violência extrema. Além é claro, do terror e suspense.
A trilha sonora também é um elemento marcante nos seus filmes. Mesclando músicas incidentais com clássicos do rock e heavy metal.

Os filmes de Rob Zombie não são conhecidos do grande público. Talvez o filme mais mainstream do diretor seja o excelente remake do clássico Halloween.

O intuito dessa matéria é apresentar os filmes do Rob Zombie na forma de um guia para aqueles que não conhecem seus filmes.

IMPERDÍVEIS!

A  Casa dos 1000 Corpos (2003)

Primeiro filme de Rob Zombie, claramente inspirado no clássico O Massacre da Serra Elétrica onde um grupo de jovens se depara com uma família de psicopatas.
Clássica fórmula do filme slasher, mas que mostra em seus personagens o que viria ser a assinatura de Rob Zombie.
Um filme tenso, onde o terror emocional e o horror são tão fortes que você não consegue desgrudar os olhos da tela, porém o 3ª ato é bastante cansativo e desconexo da trama do início. Mas isso está dentro da proposta insana do que é o filme.
Assista e tire suas conclusões.
Considerado por muitos o melhor filme do diretor até hoje.

 

Halloween O Início (2007)

Remake do clássico Halloween de 1978 dirigido por John Carpenter.
Nesse filme Rob Zombie presta uma clara homenagem ao filme original, preservando falas e cenas e dando um toque bem maior do terror psicológico.
Esse remake foi aclamado pela critica e pelo público e abriu uma temporada de remakes de filmes clássicos de terror como A Hora do Pesadelo, Massacre da Serra Eletrica e Sexta Feira 13. Porém nenhum desses remakes conseguiu a qualidade apresentada aqui.
Rob Zombie nos traz boa parte da infância de Michael Myers de forma tão sublime que você realmente fica com medo dele desde criança. A interpretação do ator Daeg Faerch realmente te mostra o que é um psicopata com 10 anos de idade.
A grande diferença do remake para o original é que enquanto no filme original o foco está na personagem Laurie, interpretada por Jamie Lee Curtis, no remake o protagonista é realmente Michel Myers.

 

The Haunted World Of Superbeasto (2009)

O que parecia impossível acontece com Rob Zombie dirigindo uma animação. Superbeasto é um lutador mexicano de luta livre que combate monstros e nazistas zumbis ao lado da sua sexy irmã.
Apesar de ser uma animação, The Haunted World Of Superbeasto passa longe de ser infantil com boas doses de violência, nudez, sexo e é claro muito humor negro.
O filme mais obscuro e bem humorado da carreira de Rob Zombie e, sem sombra de dúvidas um dos melhores.

 

 

 

MUITO BONS!!!

 

Rejeitados pelo Diabo (2005)

Continuação de A Casa dos 1000 Corpos, Rob Zombie surpreende mostrando um filme que foge totalmente à temática slasher e nos apresenta um típico road movie policial com os três sobreviventes da família Firefly em fuga da polícia.
Um filme dinâmico, empolgante, inteligente, e é claro, violento.
Destaque para o Capitão Spaulding, personagem interpretado por Sid Haig que em A Casa dos 1000 Corpos faz um ponta e aqui se torna um dos personagens principais do filme. Sem sombra de dúvidas um dos personagens mais interessantes visualmente que já foi apresentado no cinema.

 

 

31 (2016)

31 conta a história de cinco trabalhadores de um parque de diversões que foram raptados e tomados como reféns até à noite de Halloween, onde são colocados num complexo. É lhes dito que fazem parte de um jogo chamado “31” e que têm de sobreviver nas próximas doze horas a um grupo de assassinos com máscaras de palhaço.
31 marca a volta de Rob Zombie aos slashers movies e é o que tem mais cenas de violência gráfica e sadismo explícito. É um filme bastante perturbador, mas mais pelas cenas apresentadas do que pelo roteiro em si.
Podemos compará-lo ao A Casa dos 1000 Corpos, mas de assimilação mais fácil. É um bom filme, porém esquecível.

 

 

CUIDADO!!!

 

H2: Helloween 2 (2009)

Halloween 2 sofre da maldição da continuação, sendo muito inferior ao primeiro, nesse filme Rob Zombie comete o que eu vejo como sendo uma série de decisões equivocadas. A começar do roteiro tentando levar a trama para um patamar mais sobrenatural mostrando uma relação de Michael Myers com o espírito da sua mãe, um outro erro é colocar a atriz Sheri Moon-Zombie, esposa do diretor e, de longe uma das piores atrizes que já vi na vida, com muito mais tempo de cena que no primeiro. A atriz que interpreta a mãe de Michael Myers, no primeiro filme se mostra uma mulher fraca e tem pouquíssimo tempo de tela. Já no segundo filme ela reaparece como um fantasma (ou uma alucinação) em uma tentativa de humanizar Michael Myers, e o faz de uma forma incrivelmente artificial.
Em muitos momentos o roteiro se perde e deixa furos tão visíveis que faz com que o espectador não se envolva na trama de tal forma que chega a perder o interesse pelo filme.
Porém ainda é um filme de terror slasher básico, com todos os elementos que esse sub gênero de filme possui.

 

 

As Senhoras de Salem (2012)

Se todo o diretor de cinema com mais de cinco filmes tem um filme ruim, eu diria que As Senhoras de Salem é realmente o pior filme de Rob Zombie.
A trama se passa em Salem, Massachussets, cidade infame pela perseguição às bruxas na época da inquisição. Heidi, interpretada por Sheri Moon Zombie é uma DJ local que recebe um estranho disco de vinil de um grupo autointitulado Os Lordes, contendo uma música desconexa. Após ouvir o disco, ela passa a ter visões sobrenaturais. Com a ajuda do pesquisador Francis Matthias, interpretado por Bruce Davison ela descobre que o disco é obra de uma seita de bruxas que querem sua vingança contra os descendentes dos inquisidores.
Roteiro batido e fraquíssimo, jump-scares (cenas feitas pra levar susto) bobos, direção ligada no automático, excesso de clichês e atuações sofríveis (destaque novamente para o desastre que é a Sheri Moon-Zombie atuando) fazem com que As Senhoras de Salem seja um filme que pode ficar de fora da filmografia de Rob Zombie. Claramente inspirado no clássico O Bebê de Rosemary de 1968 dirigido pelo gênio Roman Polansky, nesse filme infelizmente Rob Zombie falha miseravelmente.

 

 

 

Em 2019 o diretor deve lançar o filme ‘3 From Hell que será uma continuação de Rejeitados Pelo Diabo, que deve trazer de volta os personagens que nos foram apresentados em  A Casa dos 1000 Corpos.
Até o momento do fechamento dessa matéria não tivemos o lançamento do primeiro trailer do filme.

Rob Zombie é sem sombra de duvidas um dos melhores diretores de cinema da sua geração. Sua criatividade é inegável e merece ser mais reconhecido pela crítica especializada e conhecido pelo público.

Continuem acompanhando o especial 31 Dias de Terror dos Nerdssauros, onde durante todo o mês de outubro teremos uma matéria sobre o universo do terror.

Até a próxima!!!

MATERIAL BÔNUS

CONHEÇAM A MÚSICA DE ROB ZOMBIE!!!

 

 

Siga @Nerdssauros