Por Ivan Mendes

Nessa penúltima matéria do especial 31 Dias de Terror, vamos falar da obra 30 Dias de Noite.

No extremo do Hemisfério Norte, o vilarejo de Barrow, no Alasca, tem um mês inteiro de escuridão todo ano. Mesmo com a maioria dos residentes viajando para o sul durante o inverno, alguns acabam ficando em Barrow. No entanto, aqueles que ficam acabam se arrependendo, pois vampiros famintos chegam ao vilarejo para se alimentarem e o policial Eben, sua esposa e um grupo de moradores farão de tudo para sobreviver.

Inspirado na Graphic Novel de Ben Templesmith e Steve Niles, o roteiro escrito por este último ao lado de Stuart Beattie e Brian Nelson parte de uma ideia promissora: a de que os vampiros, sempre avessos à luz do sol, optariam por atacar uma cidadezinha do Alasca que, todo ano, passa um mês na mais completa escuridão. Assim, quando o xerife Eben descobre que, no último dia de sol, alguém destruiu todos os celulares do lugar, matou os cães que puxam trenós e sabotou o único helicóptero existente ali.

O mais interessante em 30 Dias de Noite é a apresentação dos vampiros, diferentemente dos lindos, misteriosos e sedutores que são habitualmente apresentados em obras literárias/cinematográficas como Drácula, Entrevista com o Vampiro e Crepúsculo poe exemplo, em 30 Dias de Noite os Vampiros são brutais, falam um idioma próprio, não se preocupam em momento algum em esconder suas reais intenções e caçam em grupo, muitas vezes lembrando uma alcateia de hienas.
Visualmente os vampiros de 30 Dias de Noite são aterrorizantes mas não monstruosos, inspirados no clássico Nosferatu.
Mas não pense que são estúpidos. Estão bem longe disso e isso é mostrado em estratégias, diálogos e hierarquia no grupo

Tanto a HQ como o filme conseguem nos passar todo o clima de perigo e urgência onde os sobreviventes precisam manter esse status quo no mais absoluto silencio, vivendo em sótãos e se esgueirando entre a casas em busca de alimento e em maneiras de eliminar a ameaça.
Não espere um filme frenético, 30 Dias de Noite é um filme de ritmo mais desacelerado buscando mais a tensão do que a ação. Mas essa quando se apresenta é bastante competente e dentro da narrativa proposta pelo roteiro

A Graphic Novel foi lançada em 2002 e aqui no Brasil tivemos uma edição de 88 páginas englobando toda a primeira a fase lançada pela editora Devir.
O filme foi lançado em 2007 e é protagonizado por Josh Hartnett e Melissa George. Teve uma boa recepção da crítica especializada e do público.
Em 2010 foi lançada uma continuação direto para DVD, onde toda a equipe criativa e elenco mudou, abordando uma fase muito adiantada das HQ que deixou o filme como uma continuação sem muita conexão e sem o charme tanto da HQ como do primeiro filme.

Siga @Nerdssauros