Gotham: Final da série

Se existe uma série que deixa claro a interpretação dos quadrinhos, Gotham foge das séries de heróis comuns, para uma trama focada nos policiais, mafiosos, futuros vilões e aberrações de Gotham city mas isso foi apenas o começo… a cada episódio que passava de Gotham, a história crescia de forma expressiva, contando como Jim Gordon e seu parceiro Harvey Bullock e o DPGC (Departamento de Policia de Gotham City) sobreviviam ao submundo do crime de Gotham, que durante suas temporadas tiveram diversos líderes.

A série tem como objetivo apresentar os principais nomes da galeria de vilões do Batman tais como: Pinguim, Charada, Hera Venenosa, Espantalho, Mr. Freeze, Hugo Strange, Chapeleiro Louco, Mulher-Gato, Bane, Ra’s Al Ghul, Falcone, Maroni, Victor Zsasz, Solomon Grundy e o Palhaço do Crime, dentre tantos outros vilões, recontando histórias com alguns detalhes diferentes, e criando alguns vilões como Fish Mooney (Jada Pinkett Smith) personagem de grande impacto na série, mas que infelizmente não existe nos quadrinhos.

Toda trama dos heróis gira em torno de James Gordon (Ben Mackenzie), Harvey Bullock (Dolan Longue), e Bruce Wayne (David Mazouz) e Alfred Pennyworth (Sean Pertwee) e em como eles sobrevivem diante do submundo do crime de Gotham, e também mostrando a ascensão de Gordon a comissário de polícia, e a de Bruce sob o manto de Cavaleiro das Trevas.

Pelo lado dos vilões a trama vive e respira em quatro personagens: Oswald Cobblepot (Robin Lord Taylor), Edward Nygma (Coryn Michael Smith) Barbara Kean (Erin Richards), Jerome/Jeremaiah Valeska (Cameron Monaghan), mostrando como cada um sobe ao reinado do submundo do crime de Gotham, como Pinguin, Charada, Barbara tem um propósito de mostrar ao espectador o quão tóxico pode ser o convívio com Jim Gordon, mergulhada na loucura surge como uma das rainhas de Gotham, até encontrar sua redenção, e a criação do mito e do ideal do Coringa, que é vivido pelos irmãos Valeska.

E apresentando um terceiro lado de personagens neutros que constantemente mudam de posição hora nos mocinhos, hora como vilões, este lado é contado através das histórias: Leslie Thompinks (pela querida brasileira Morena Bacarin) e Selina Kyle (Camren Bicondova) que tentam sobreviver a todo custo a toda loucura de Gotham.

As temporadas são muito bem estruturadas, e aproximam muito até algumas mutações, como por exemplo o Solomon Grundy, a um ponto de vista mais humano, Gotham peca em alguns pontos mas nada que seja tão forte para desmerecer a obra de Bruno Heller. Spoilers daqui em diante.

Com seus exatos 100 episódios Gotham entrega, aquilo que veio contar, como cada personagem chegou ao ponto, de quando começa a jornada do nosso famoso Homem morcego! a construção dos personagens, uma mulher-gato apaixonada mas amargurada com o fato de ter sido abandonada, um Pinguim (que está engordando) mas que é tão mesquinho e rancoroso, um Charada louco e que não exita em pregar suas peças através das charadas, e um Coringa medonho, nada próximo da atuação de Heath Ledger o que é até injusto de comparar, embora a atuação de Cameron seja brilhante! um coringa ensandecido, parece até produto de todo ideal caótico e lunático do Coringa de Ledger. A ascensão de James Gordon a comissário de polícia, uma Barbara Gordon glamorosa, e sua pequena filha Barbara Lee Gordon. O Episódio mostra de forma orgânica a vida em Gotham, agora com seu vigilante ativo, inclusive algo muito positivo do episódio final que constantemente mostra a perspectiva do Batman, nas cenas relacionadas.

Se pudesse dar uma nota a série ela com toda certeza ficaria entre os 8,5 ou 9,0. A série encaixa, não é fiel aos quadrinhos, mas respeita e se baseia neles, e revive algumas cenas icônicas dos quadrinhos.

Siga @Nerdssauros