The Boys 1ª Temporada – Crítica!

The Boys é uma série da Amazon Prime, inspirada nos quadrinhos de Garth Ennis, publicadas no começo pela Wildstorm um braço da Dc Comics, e qeu deu continuidade em outro selo, a Dynamite Entertainment, onde ficou muito popular. A série é desenvolvida por Eric Kripke, Evan Goldberg e Seth Rogen com um total de 8 episódios, onde cada episódio tem 1 hora.

Sinopse:

Quando a fama sobe à cabeça, alguns super-heróis passam a se corromper e usar seu status para se promoverem ainda mais, o que pode colocar em risco a própria população. Pensando nisso, uma equipe da CIA foi preparada para cuidar desse caso. Conhecidos como “The Boys”, esses agentes têm a missão de vigiar o trabalho dessas personalidades, assim como controlar o surgimento de novos heróis.

Análise:

A série mostra como seria se os Heróis, fossem corruptíveis, diferente do mitos criados tanto pela Marvel quanto pela DC, que “Com grandes poderes vem grandes responsabilidades” The Boys mostra muito pelo contrário, que as vezes os grandes poderes ou nos corrompem, ou revelam quem somos! Em diversos momentos, a série te coloca para refletir, em como você agiria se você tivesse superpoderes?

Fazendo um pouco de sátira com principalmente a DC possuindo os 7 que são os principais heróis da Vought, que é uma das diversas companhias no universo de The Boys, embora não foram apresentadas ainda. Os Heróis são: Capitão Pátria (Superman), Queen Maeve (Mulher Maravilha), Black Noir (Batman), Trem-Bala (Flash), Profundo (Aquaman), Luz-Estelar (Poderosa e Sideral), apenas Translucido não tem uma comparação.

The Boys também aplica um pouco de física, química na realidade dos heróis, como por exemplo o conceito de desaceleração, e algumas relações com componentes químicos.

Crítica:

As atuações são excelentes, os personagens possuem diversas camadas e são densos, a série não tem “mocinhos” em uma pega bem Watchmen onde todos tem coisas boas e tem coisas ruins, porém toda essa densidade e peso muitas vezes são quebradas por diálogos ou mudanças de cenas com tons mais leves. O que acaba dando uma boa continuidade a série, e faz com que ela não perca seu ritmo, ou fique densa demais. As fotografias são foras de série, possuem uma qualidade boa, e a direção mostra um rumo que o espectador não espera, a trama não é rechada de plot twists porém faz um excelente uso dessa ferramenta nos momentos exatos. A série deixa um gatilho gigantesco para a próxima temporada. (Que já está confirmada.)

Os efeitos especiais não perdem nada para os efeitos da Marvel ou da DC nos filmes, são tão bons quanto. Ver o Trem-Bala correndo ou o Capitão Pátria voar, ou até mesmo os poderes de Luz-Estelar, estão muito bem reproduzidos!

A série dificilmente peca, e quando acontece é geralmente por alguma piada ou alguma coisa grotesca demais que te tira da série por alguns instantes. Que é quando entra a súbita mudança de cena para te colocar de volta.

SPOILERS ADIANTE: mas um dos pontos a serem tratados é que a Vought não é a única empresa nos ramos de Heróis, e isso a série cita, porém deixa passar, onde vemos basicamente um monopólio dentro da série, talvez seja porque a história é direcionada nesta empresa no momento, e com o passar das temporadas isso vá mudando, outra coisa é o conformismo da população, quando a temática fala sobre os danos colaterais (todas as vidas perdidas em batalhas ou resgates) mostra uma população muito conformada dentro desses aspectos de que eles são Supers e não podemos questiona-los, engraçado é que em Batman V. Superman a situação é bem diferente, após a destruição de Metrópolis em Homem de Aço, Superman vai a julgamento, sobre suas atitudes e destruição, e a cena mostra uma população que apoia o herói, mas também o cobra e não é conformada pelas perdas.

A série é excelente, possui momentos sensacionais, e te prende na tela.

Nota: 9,5/10

The Boys já possui uma segunda temporada confirmada mesmo antes da sua primeira ter sua estreia, ela está disponível na Amazon Prime.

Siga @Nerdssauros