Resenha: Querido Jaime

2016 parece que foi há dez anos atrás. E só se passaram três. Muitas cosias aconteceram e mesmo assim algumas ficam. Entre elas, para mim, ficou na memória um livro bem curto que li nesse ano: Querido Jaime, do talentoso autor brasileiro Eduardo Lages, que costumava vender seus livros na calçada da Avenida Paulista.

Com ilustrações do próprio autor, conhecemos Jaime, um idoso solitário que vive sozinho em casa. Um dia, para receber o dinheiro de sua aposentadoria, ele precisa ir para São Paulo. Um acontecimento ocorre e o homem de 72 anos se vê perdido no meio da selva de pedra.

Para superar essa adversidade, Jaime irá partir para uma busca pelo caminho de casa e também do autoconhecimento.

Querido Jaime é um livro, como eu disse, bem curto, mas que consegue desenvolver bem sua história e seus personagens. Conhecemos Jaime, seu passado e o seu presente. Devo dizer que, até pela capa, achei que era um livro com uma história até que fofa. Enganei-me. O tom fica bem pesado, especialmente no final. Porém, não fiquei decepcionado.

É uma ótima leitura. O livro tem o tom que a história merece e nos faz refletir sobre nossas vidas, decisões, erros e coisas que podemos fazer no futuro. Ou que deixamos de fazer.

Querido Jaime é um livro que com certeza você deve dar uma conferida.

Colunista: Walter Niyama é autor de Guardiões de Sonhos – As Portas dos Pesadelos, e também do livro O Mistério dos Suicidas. Mantém um canal no YouTube chamado Dossiê de Livros e faz curso de Jornalismo pela ESPM-SP.

Siga @Nerdssauros