Pokémon Sword and Shield – Análise

A oitava geração dos monstrinhos de bolso, finalmente está entre nós, chegando aos trancos e barrancos, cercado de polêmicas os jogos sofreram muito na mão da sua própria fã base, com algumas mudanças que não agradaram aos fãs, comentaremos algumas delas.

National Dex: para quem não entende o termo, National Dex seria o catálogo de todos os Pokémons existentes, presente em todas as franquias passadas, exceto em Let’s go pela premissa do jogo, com sua interação ao Pokémon GO, que limitava a apenas a utilização dos Pokémons da região de Kanto e suas formas alternativas como mega evoluções e Alola forms. Porém em Galar (região que se passa Sword and Shield) apenas 432 dos 890 Pokémons entraram na Dex, e muitos dos queridinhos do público como Salamance e Metagross, Greninja, Infernape e outros, não sobreviveram ao corte da região.

Mega Evoluções: A 8ª geração foi palco também de outras polêmicas como a das mega evoluções, que são formas mais poderosas,e muitas vezes até originais destes pokémons, algumas das mais famosas como Mega Charizard X e Y, Mega Sceptile, Mega Lucario, Mega Mewtwo X e Y, todas elas foram cortadas do jogo.

Z-moves: Outra mecânica que não sobreviveu ao corte foram os Z-moves, ainda gerou alguns problemas como alguns dos Pokémons possuiam Z-moves assinaturas, como os iniciais de alola, Pikachu, Kommo-o… a justificativa seria o excesso de mecânicas dentro do jogo, você teria pelo menos metade do seu time com utilização de mecânicas.

Primal Form: A ausência de Groundon e Kyogre atrelado a ausência das megas evoluções, não possibilitaria a mecânica de fluir dentro do jogo, o que acabou gerando seu corte.

Análise

Pokémon Sword and Shield apresentam a região de Galar e seus mistérios relacionados a uma nova mecânica chamada Dynamax aonde o Pokémon do usuário aumenta de tamanho (como uma projeção de sua própria energia), alguns Pokémons desenvolveram um fenômeno mais poderoso! O Gigantamax, aonde além de crescer o pokémon recebe algumas alterações em sua forma!

Como todo jogo tem seus altos e baixos e isso não é diferente em Pokémon, correndo por fora das polêmicas relacionadas ao corte da Dex e das outras mecânicas, Sword and Shield sofrerem com uma falta de renderização dentro do mapa, algumas árvores com a textura similar a de Ocarina of Time do 64, porém o jogo não deixa nada a desejar tendo uma história que te prende do começo ao fim! A ausência de boa parte dos Pokémons populares, por incrível que pareça torna o jogo mais dinâmico, afinal você terá que utilizar os pokémons da região assim você se acostuma com o visual dos mesmos, lógico que com a Wild area da pra gente correr atrás do nosso favorito.

Os ginásios tiveram um ótimo upgrade em sua mecânica, o traz um novo respirar para a franquia, agora cada ginásio possui uma missão diferente antes de enfrentar o líder você deve passar pela missão (similar ao teste dos Kahunas em Alola) e durante as missões aparecem os treinadores do ginásio para te enfrentar.

O jogo também conta com uma feature online dentro da Wild area, com uma possibilidade de interação de trocas, lutas, raids, e visitar seu amigo em um acampamento, fora que todo o personagem que você interage te da um item, mas uma coisa negativa de tudo isso, é alguns bugs do modo online como por exemplo você vê diversas pessoas no seu jogo, mas é incapaz de conseguir ver seu amigo, ou quando você vai fazer uma raide não encontra gente, e antes de entrar na raid haviam três pessoas procurando por mais uma, porém são algumas coisas que podem ser arrumadas com atualizações.

Não é o jogo de Pokémon que queríamos, mas é o que precisávamos.

Siga @Nerdssauros