Cronos, o filme que mostrou ao mundo a arte de Del Toro

Como uma pessoa nascida em 1997, não vi o Brasil ser tetra em 94 e tenho vagas lembranças do penta em 2002. Mas sei reconhecer um filme desse período, o que causa até uma sensação de nostalgia frente aos longas de imagem refinada com os quais estamos acostumados nos dias de hoje. Imagens estás com as quais eu assisti A Forma da Água e Círculo de Fogo, ambas obras do diretor mexicano Guillermo del Toro.

Faz tempo que sou um grande admirador de seu trabalho, tendo assistido ainda criança (e ficado um pouco traumatizado no processo) o filme O Labirinto do Fauno, um dos filmes mais amados do cineasta. Ele que ainda deixou saudades entre os nerds quando foi lançado o último filme de Hellboy e muitos lamentaram que Del Toro não estava ali para dirigir mais um longa do anti-herói.

Porém, queria ver mais obras do diretor e então calhou de ter na Amazon Prime o filme Cronos de 1993. Nele, ficamos sabendo sobre Cronos, um artefato dourado cheio de mecanismos criado há centenas de anos por um antigo alquimista. Esse alquimista inventou a relíquia para conseguir a tão sonhada imortalidade.

Porém, ele morreu em um desabamento, tendo seu coração perfurado, e o artefato se perdeu até ser encontrado dentro da estátua de madeira de um anjo em uma loja de antiguidades de um velho senhor simpático cuja vida mudaria para sempre.

Cronos não chega a ser um Labirinto do Fauno ou A Espinha do Diabo, porém é um bom filme e já nos mostra elementos clássicos de Del Toro como a subversão e a reinvenção de mitos e lendas antigas, magia, seres sobrenaturais e a bondade frente a ganância e o ódio.

É impressionante ver que ele em seu primeiro grande projeto, como diretor e roteirista, tenha feito um longa com essa qualidade. Que é coroado ainda com as atuações de Federico Luppi e Ron Perlman, que se tornariam parceiros do diretor nos anos seguintes.

O final de Cronos é a minha parte favorita do filme. Não quero falar muito sobre para não entregar spoilers a quem ainda não o viu (mesmo o filme sendo de 1993), mas as emoções que me passou e o impacto que teve em mim eu continuo refletindo sobre mesmo tendo assistido ao filme há quase uma semana.

Cronos é uma ótima dica e está disponível na Amazon Prime.

Colunista: Walter Niyama é formado em Jornalismo pela ESPM-SP. Além do Nerdssauros também escreve para o Converge-Jornalismo. Também é autor de três livros publicados: O Mistério dos Suicidas; Guardiões de Sonhos – As Portas dos Pesadelos; e Anos Atrás – Uma História de Santiago Valentim.

Siga @Nerdssauros